Archive for julho, 2012

  • Calvário, Gólgota (Caveira), Jerusalém, 33 d.C…

O cenário, nada edificante, reunia um povo de natureza bem diversa… Sentenciados, comovidos, escarnecedores, milícias, hipócritas, arrependidos, todos testemunhas de um fato principal e de menores e coadjuvantes fatos, mas dignos de uma compreensão mais aprofundada.

E aqui, um desses fatos: Dirigindo-se à sua Mãe, diria o ‘Sentenciado do Meio’ ‘Mulher, eis aí teu filho; ’ e, logo a seguir, ao discípulo amado, João ‘Eis aí tua mãe’. Menor, coadjuvante e desapercebido fato, em meio a tanta agonia?

Não! Meu Divino Sentenciado transferia a ‘toda’ a humanidade, naquele momento, a mais nobre, a mais honesta, a mais virtuosa das Mães: Maria de Nazaré, a Sua Mãe!

Dessa forma, o seio de sua graça não seria oferecido tão somente a bebês engatinhantes e que Nela crêem, mas, indistintamente aos que julgam não necessitar de Sua mediação, a escurraçadores de sua imagem – lembrança física -, a iconoclastas de sua bela estampa em gesso e aos ignorantes de seu trabalho nas ‘Zonas de Socorro’…

Quem estava ao pé da cruz quando o Filho querido arrancado de seu regaço Lhe delegou auxílio a ‘todos’ os cristãos? João, a própria Mãe, piedosas mulheres, a soldadesca rude e seu centurião; sumo sacerdotes e escribas hipócritas e escarnecedores; Dimas e Cefas, o ‘bom’ e o ‘mau’ ladrão e com Ele sentenciados… Nenhum deles, exatamente dentro de suas necessidades e heterogeneidade, ficaram de fora da Messiânica ‘transferência’.

  • Num lugar qualquer do Planeta Terra, 6 de julho de 2012 d.C…

Títulos Lhe são conferidos, nos quatro cantos do mundo ante as necessidades mais prementes de cada povo. Títulos não são tão necessários quanto os socorros, pois como em 33 d.C., os socorros são distribuídos à diversidade de povos e de caracteres.

Nunca, como nos dias atuais, tantas campanhas foram feitas para a humanidade chegar ao Coração da Mãe de Jesus… Como lá, também hoje corações de amplos caracteres: De Marias, de Dimas, de centuriões, Silvias, poetas, Cefas, Madalenas, padres Lourenços, Euridices, Sonias, Carlas, Claudios e Claudias, cronistas, populachos, Fernandas, Veras, escritores, céticos, irreverentes… Todos são convidados a não largar de Sua mão.

Meus queridos amigos conheceriam vocês Cronologia de Socorro Materno mais Divina que esta?

(Sintonia com João, XIX, 26 e 27) – (Inverno chuvoso de 2012).

O ‘Programa Bolsa Família’ (PBF), tecnicamente chamado de ‘mecanismo condicional de transferência de recursos’, foi implantado no governo Lula em 2003, a fim de integrar e unificar ao Fome Zero os programas Bolsa Escola, Auxílio Gás e o Cartão Alimentação do governo FHC e idealizados pela primeira-dama D. Ruth Cardoso.

Em junho de 2011, como parte do programa Brasil sem Miséria, o atual governo anunciou uma expansão ao PBF, anexando-lhe novos recursos e abrindo um leque de situações em que as famílias seriam amparadas…

…E amparo é aqui a palavra chave: Quando os cristãos ainda não se ‘rotulavam’, o Mestre, no intuito de ampará-los, reunia-se na casa de Pedro de Marta e suas irmãs e dos demais apóstolos a fim de realizar os primeiros ‘Evangelhos no Lar’; era o Evangelho em Pessoa adentrando aos lares de amigos, tornando essa prática tão antiga quanto a passagem encarnatória de Jesus por aqui.

Dr. Bezerra de Menezes me dá a entender que os Amigos de Luz que, por um motivo ou outro, não podem comparecer a esses cultos, sentem-se tão felizes como os que lá comparecem participando, atuando, explicando, aprendendo, clareando…

É o momento, portanto, em que os membros encarnados numa mesma família e amigos desencarnados se reúnem em debate não só em torno das verdades do Mestre, mas ‘com’ O próprio…

…Sim, com o próprio, pois que prazer essa família Lhe proporcionará ao ver ‘duas ou mais pessoas reunidas em seu nome… ’

Mas, seria o Evangelho no Lar o momento de ‘lavar roupas sujas’? Prioritariamente, não, mas acredito que todo o esforço para sanear desencontros, traumas, inimizades e ódios, será válido nessa hora. A ocasião para se colocar alguns pingos nos ‘is’… Aliás, o que é o Evangelho em seu todo senão exortações, advertências?

Continua meu amigo e Médico dos Pobres: “O Evangelho no lar é sublime e urgente terapêutica de amparo à família”…

…Como no mundialmente reconhecido Programa Bolsa Família, o Evangelho no Lar é o programa de maior amparo espiritual à família, pois ‘não só de pão vive o homem’; não só de PBF… O ‘Bolsa Evangelho’ é de extrema importância, socorro e amparo!

(Citações em itálico e sintonia são do cap. Oração em família, pg. 59 de Recados do meu coração de José Carlos De Lucca/Bezerra de Menezes, Ed. InteLítera) – (Inverno de 2012).