Recuperação

“… Se tratarmos o erro do semelhante, como quem [imagina] afastar a enfermidade de um amigo doente, estamos, na realidade, concretizando a obra regenerativa.” (Emmanuel). * * * Evidente que, nesta abordagem, Emmanuel se refere a nossos erros como doenças. Toda vez que nos equivocamos moralmente, adoecemos da alma. Vivendo neste Planeta, compete-nos: entendermos e policiarmos nossos equívocos; e entendermos e ajudarmos, […]

Sim; mas!…

“[Indivíduos há que] pedem o milagre das mãos do Cristo, mas não lhe aceitam as diretrizes (…). Suplicam-lhe as bênçãos da ressurreição, no entanto, odeiam a cruz de espinhos que regenera e santifica.” (Emmanuel). Sim, desejamos milagres; mas repugnamos nossa cruz! Conta-se que no sermão do monte, cinco mil, entre crianças e adultos, foram saciados com pães […]

Espelhos

Carl Gustav Jung (1875-1961), Suíço, psicoterapeuta analítico, disse que “tudo o que irrita-nos nos outros pode nos levar a uma compreensão sobre nós mesmos.” Entendemos a máxima como os indivíduos sendo espelhos nos quais nos olhamos e compreendemos em seus equívocos, os equívocos que possuímos. Emmanuel nos orientará que o homem, com as cores que usa […]

Entre a predicação e as obras

“Não podemos esquecer que o celeste Amigo (Cristo), se doutrinou no monte, igualmente no monte multiplicou os pães [e os peixes] para o povo esfaimado, restabelecendo-lhe o ânimo.” (Emmanuel). * * * No mesmo capítulo Emmanuel continuará sua exortação informando-nos que não nos desincumbiremos da tarefa salvacionista, simplesmente pronunciando alguns discursos admiráveis. É imprescindível usar nossas mãos (mãos, braços, pernas, pés, intelecto, habilidades, talentos, […]

O bom e o ruim

Maçã ou goiaba, com parte bichada poderá ser, na sua maioria, absolutamente doce! “… Há criaturas que, revelando-se negativas em determinados setores da luta humana, são extremamente valiosas em outros.” (Emmanuel). Conta-se que a mulher adúltera, aquela que Jesus compreendeu, defendeu e concitou a “não mais pecar”, a despeito de seu equívoco, logo após evidenciou grandes […]

Golpeiam-nos; golpeamos-nos…

Nosso ilustre Aurélio Buarque de Holanda Ferreira nos explica que golpe é um “choque produzido por um corpo que em movimento rápido, atinge outro com maior ou menor intensidade.” Palavra do momento, o tão alardeado verbete leva-nos a algumas reflexões em momento crucial de aperto de cintos: GOLPEIAM-NOS quando, quase que diariamente, vamos ao nosso mercado de preferência […]