pescadores-de-homem3Quando o Mestre a nós ‘reclama’ que “a messe é grande, mas poucos os operários”, dá-nos a entender que todos estamos convidados ao labor e que a ‘boa vontade’ elimina quaisquer outros empecilhos que por ventura contraponhamos à luta pela Sua causa:

  • Títulos honrosos, ao invés de entraves opressores à Causa Crística, deverão ser pensados como ferramentas de benefício. Ao escolher seus colaboradores, o Mestre não fez distinção entre o humilde pescador e o coletor de impostos;
  • Possibilidades materiais, se bem conduzidas, minimizam esterilidades. Será o material a serviço da causa e não a causa se ‘lambuzando’ no material!
  • Se nosso pensamento já é livre, policiemo-nos quanto à repressão aos que do livre pensar ainda não fazem uso; e
  • Não somos profissionais religiosos; professamos confissões diferentes! Todo o que ‘professar Cristo’, independente da cor de sua batina, paramento, ritual, cor, casta, credo, corrente, partido… fará parte da futura religião que se chamará fraternidade, aquela que colabora e recebe colaboração…

Nossas fala, escrita, ações e trabalhos, só terão validade quando se aproximarem ao máximo da decorrente vivência. A profissão religiosa é irrelevante e não representa nenhum empecilho se a intenção e vontade forem boas…

… Ou André Luiz não mesclaria, costumeiramente, com Espíritos que professaram credos diversos, sua equipe de socorro espiritual às regiões dos mais necessitados!…

Nem scarpins, nem alpercatas serão empecilhos ao bem. ‘O que’ os pés realizarem sobre cada um, é o que contará!…

(Sintonia: Cap. Pensamento espírita, pg. 226, Livro da Esperança, Emmanuel e Francisco Cândido Xavier, Ed. CEC) – (Outono de 2015).

One comentário para “Empecilhos”

  • Silvia Gomes says:

    “Nossas fala, escrita, ações e trabalhos, só terão validade quando se aproximarem ao máximo da decorrente vivência. A profissão religiosa é irrelevante e não representa nenhum empecilho se a intenção e vontade forem boas…”
    Grande verdade!
    Não importa onde estamos em que lado jogamos, que roupa vestimos ou sapato que calçamos… O importante é a sinceridade e a bondade de nossas intenções. Se pensamos e agimos em prol da fraternidade e da justiça, estaremos trilhando o bom caminho!
    Belo texto querido amigo! Grande abraço!

Deixe um comentário