pegasus_LARGE_t_1581_106268182Todas as fontes (nascentes) darão origem a regatos, arroios, riachos, rios que um dia se lançarão no grande mar. Fontes, regatos, arroios, riachos, rios, são todos os ensaios que as grandes águas que habitam os oceanos fizeram um dia…

* * *

O amor das almas gêmeas não pode efetuar restrição ao amor universal (…) porquanto, atingida a culminância evolutiva, todas as expressões afetivas se irmanam na conquista do amor divino.

Amor universal ou amor divino é o grande mar em que todas as almas anseiam em se lançar um dia; almas gêmeas estão aí inclusas. Todo o percurso que realizam é um grande ensaio. Todas as dificuldades de percurso lhes proporcionarão experiências.

O percurso das almas gêmeas, que nem sempre será florido e nem sempre parecerá geminado, tal qual o caminho das águas, com curvas, precipitações e ações contrárias ao curso, foram, todos, o grande ensaio para atingirem algo maior.

Tudo! Todos os grandes sobressaltos, até atingirem o amor universal, será um grande ensaio!

Todo esse grande ensaio resultará num grande encontro: O encontro com o grande mar – aquele de nossa analogia – ou com o amor universal ou divino.

* * *

Não estamos aqui falando de “metades eternas.” Espíritos serão sempre inteiros. Referimo-nos a Espíritos que precisam ser diferentes, para melhor se encaixarem: Qual o côncavo e o convexo, cavado e elevado, saliente e reentrante…

Simples rascunhos, passando por exaustivos ensaios, até atingirem esboços quase que perfeitos do amor divino: Essas as almas gêmeas!

(Imagem: Romeu e Julieta, britânico, 2013, drama… De exaustivos ensaios ao filme. Sintonia com a questão 326 de O Consolador, ditado por Emmanuel a Chico Xavier, 29ª edição da FEB) – (Inverno de 2015).

One comentário para “Exaustivos ensaios”

Deixe um comentário