Morrie Schwartz (Dialogando com Mitch) – “Temos uma forma de lavagem cerebral em nosso país… Repete-se uma coisa constantemente… Possuir coisas é bom. Mais posses é bom. Mais consumo é bom. Mais é bom… O cidadão comum fica tão zonzo com tudo isso que perde a perspectiva do que é verdadeiramente importante. Em toda parte por onde andei, conheci pessoas querendo abocanhar alguma coisa… São pessoas tão famintas de amor que aceitam substitutos. Abraçam coisas materiais e ficam esperando que essas coisas retribuam o abraço… Não se pode substituir  amor, ou suavidade, ou ternura, ou companheirismo, por coisas materiais.”

(A última grande lição, Mitch Albom, pg. 83 – Os negritos  e os ítálicos são meus).

5 Comentários para ““Famintas de amor…””

  • Maria Carolina says:

    isso me faz pensar muito na minha “migração” pra outra cidade…
    deixo rio grande, família, amigos… em busca de que??

  • Velhinho says:

    Não te culpa de nada… Primeiro vêm amor, suavidade, ternura, companheirismo: Isso é a ‘base’; a tudo isso aliarás ou acrescentarás teu ‘sucesso profissional’… É A LEI DE PROGRESSO! Beijos do papai bloguista.

  • Clarinha says:

    Em termos de amor, amor verdadeiro filhota nunca perdemos nada, os laços crescem e crescem, não ha retrocesso, independente de tempo ou distância, há um plano ;D segue em frente, sempre movida pelo amor e irás com certeza evoluir mais, mais e mais… e olha, muito felizes os que tiverem o caminho cruzado por ti!! 😉

  • Fatima says:

    Filha, não estás procurando abraços e carinhos, isso não te falta, e nunca faltará…, buscas realização e isto é um dever. Comprometimento???
    Pode até ser, sabemos que serás mto útil e muito AMADA!!!É o que conta.
    Bola pra frente guria!!!!
    Te amo muito, muito, muito, te admiro e respeito cd vez mais.

  • Claudio, O Filho! says:

    Como bem disse o Velhinho, nosso amado blogueiro, migramos porque é a lei do progresso… Se é para o Capão, para São José ou se para um dos quatros cantos do Rio Grande, não importa! Migramos porque se faz necessário, porque como diz nossa maezinha, temos alguma missão nesses diversos recantos. E como bem fazem os pássaros, migramos para reproduzir e semear os ensinamentos e exemplos adquiridos do nosso eterno lar – os corações de nossos amados pais, nossos mestres maiores! Beijos saudosos a minha família, direto de São José dos Pinhais, meu atual lar!

Deixe um comentário