jesus-e-a-multidc3a3o

“… E olhando aqueles que estavam sentados ao seu redor: Eis, disse, minha mãe e meus irmãos; porque todo aquele que faz a vontade de Deus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe.”

A expressão do Mestre, um tanto aguda, em hipótese nenhuma deseja dizer o que à primeira vista se pensa. Não seria justo atribuir a Jesus uma renegação aos seus consangüíneos.

A verdade é que ao realizar este questionamento, Jesus se declara, mais do que um ‘elo de ligação’ entre a humanidade e o Pai, o decodificador dos anseios desse Pai com respeito a toda uma Família Universal pela qual zela.

Minhas atitudes, portanto, em prol dos demais que se assentam ao redor de Cristo, poderão determinar o meu grau de parentesco com eles; determinarão se sou, por exemplo, seu pai ou seu irmão, visto que somente minhas atitudes sensatas indicarão que estarei fazendo a vontade de Deus. Faria eu a grande diferença, se ao realizar minhas ações eu as soubesse filtrar: Não tanto o que poderei fazer, mas o que deverei fazer, no âmbito dessa grande Família Universal.

O nômade e peregrino indivíduo que já conseguiu fazer um bom aproveitamento de suas diversas vivências, não terá muita dificuldade de conviver com parentes heterogêneos, de castas, posições, credos, e gostos diversos, pois no aproveitamento de tais relações ele acaba somando experiências que contribuirão em sua evolução.

Na consangüinidade ou muito além dela as reencarnações me proporcionarão reencontros e desencontros: Quando os primeiros poderão me servir de regozijo, os segundos serão oportunidades benfazejas para reajustes, resgates e realinhamentos. Se todos, sentados ao redor do Cristo, não como meros espectadores, mas tendo-O como o irmão mais velho e Elo principal com o Pai dessa Família, toda a família estará no rumo certo e…

… Os que ainda não estiverem um dia estarão, pois o Pai lhes dará inúmeras oportunidades de reencontros!

* * *

Meu grau de parentesco contigo é diretamente proporcional aos esforços que ambos despendemos em “fazer a vontade do Pai”.

Sintonia e expressões em itálico são do cap. Desapego familiar, pag. 191 de Renovando atitudes, de Hammed/Francisco do Espírito Santo Neto, Ed. Nova Era) – (Verão de 2012). 

2 Comentários para “Grau de parentesco”

  • Luci Damati Louzada says:

    Ótima crônica meu grande amigo!!! com certeza nos cruzaremos muitas vezes… Abração!!!

  • Silvia Gomes says:

    Lindo texto amigo! Somos todos filhos do mesmo Pai amoroso que nos dá várias oportunidades de viver esta fraternidade. Somos todos irmãos e nossas vidas se entrelaçam em todos os tempos. Ninguém se encontra por acaso e nem somente uma vez.
    Obrigado mais uma vez, por compartilhar! Abraços!

Deixe um comentário