É próprio da Lei de Sociedade eu influir e ser influenciado. Pessoas que tiverem ascendência ou prestígio sobre as demais as estarão influenciando.

Se, como diz Emmanuel, “queiramos ou não, é da Lei que nossa existência pertença às existências que nos rodeiam”, meu primeiro ‘policiamento’ recairá sobre o ‘tipo’ de influências que desejarei exercer ou receber.

Visto que eu poderei não agradar a todos, tão pouco todos me agradarem, é necessário que eu pare e pense: ‘Ops’! Não estou sendo uma boa influência; ou a influência do que “me rodeia” não me serve; ou minha influência e a dele em nada estarão contribuindo para a felicidade e progresso da sociedade comum.

Nesse caso, útil é o consenso sobre uma lógica como instrumento mais razoável à vivência em sociedade.

Dado, entretanto a heterogeneidade de uma comunidade, seus gostos, modos, atitudes, culturas e comportamentos diversos, o consenso ideal poderá se tornar um pouco difícil.

Surge, aí, a primeira dificuldade da vivência em sociedade, já que pessoas de caracteres, sensos e ‘desconfiômetros’ diferentes, estarão comungando dessa sociedade.

Influências também entram no circuito da lei de ação e reação: Se eu creditar boas ações às pessoas sobre as quais tenho ascendência, logo, logo as mesmas pessoas as estarão compartilhando, inclusive comigo, a título de retorno.

Influências não se ditam; se mostram! Os bons atos quando mais praticados do que verbalizados, terão o poder de acreditar a ascendência que possuo sobre alguém.

Heróis de minha comunidade terão o poder de exercer influências sobre mim, assim como eu poderei exercê-las. O cuidado que se precisa ter é o tipo de ‘atos heróicos’ que estarão influenciando reciprocamente.

Quando Emmanuel me fala de uma Lei, refere-se às Leis Naturais e não só à de Sociedade, mas a um conjunto de Leis interdependentes. Como negar que o progresso da sociedade – ou a Lei de Progresso -, não seja impactado pelas minhas influências e as dos que “me rodeiam”? Se as influências forem boas, a sociedade progredirá na direção do bem; se más, rumará ao caos.

Em meados do século XX, as influências de um só homem, doente, fanático e preconceituoso, provocaram um colapso mundial…

Do tipo de influência que eu semear ou acolher, dependerá o adiantamento ou o atraso do Planeta. Não poderei desejar a ‘promoção’ da Terra se minhas influências forem claudicantes!

Normalmente, sou rápido na crítica às influências alheias, mas muito lento para compreender que minhas influências poderão não ser as melhores…

Influencio-te, influencias-me, é totalmente natural, ou, como diria Emmanuel, pertenço-te, pertences-me! Se o que eu te compartilhar for tão edificante quanto o que comigo compartilhas, a sociedade anda, o progresso anda, o Planeta anda!

(Sintonia e expressões em itálico são do cap. Vida comunitária, pg. 55 de Mensagens de esperança e paz, de Waldenir A. Cuin, Ed. EME) – (Inverno de 2012).

4 Comentários para “Influencio-te, influencias-me…”

  • Silvia Gomes says:

    Perfeito meu amigo! Somente com o exemplo de nossas boas atitudes, poderemos contribuir para o progresso do Planeta. Infelizmente uma boa parte de nós não consegue perceber isto… E assim a humanidade segue tentando encontrar soluções mirbolantes para uma questão tão simples.
    Bela crônica! Obrigado! Abraços!

  • Gentil Fabres says:

    Esse texto nos faz refletir sobre o quanto somos exigentes em relação aos que convivem conosco, seja em família, no trabalho ou na sociedade como um todo. Pouquíssimas vezes nos perguntamos que tipo de atitude, postura ou conduta moral exercemos e qual influência temos sobre aqueles que nos cercam. Estamos sempre prontos para nos eximir de qualquer responsabilidade.Sabemos, é fato, que todos somos abençoados com o livre-arbítrio, mas, por exemplo, os pais tem obrigação ampla na conduta moral e educacional de seus filhos. Até porque, “Quem ama Educa.” Portanto, cabe a eles a primeira boa influência, o melhor exemplo, para que tenham como base a certeza de que quando adultos saberão discernir entre liberdade e libertinagem;entre o bem e o mal, direitos e deveres e etc. Descobrirão que amar ao próximo, é mais que simples caridade:é fazer ao outro exatamente o queremos para nós. que Deus nos ajude a trocarmos apenas boas influências.Abraços,
    Carla Fabres

  • Luci Damati Louzada says:

    Mais uma vez, começo o dia com uma bela mensagem!!!!! Acho sim que devemos tentar sempre ser o melhor secretário das nossas tarefas, o mais eficiente propagandista dos nossos ideais e a mensagem viva das noções que transmitimos aos outros… Difícil? Sim, mas não impossível e se todos começarem a agir dessa forma, nosso Planeta progredirá mais rapidamente do que imaginamos. Bom dia para ti, meu amigo poeta!!!!!

  • Vera Rodrigues says:

    Boa noite meu amigo,passei um ótimo dia cuidando meus netos.Meu amigo,nosso exemplo é fundamental,devemos tomar cuidado com nossas palavras e nossas atitudes e fazer tudo que estiver ao nosso alcance para o crescimento de todos nós e de nosso planeta.Boa noite amigos.

Deixe um comentário