Pedir LuzRevelações do plano superior lhe chegarão – ao homem – naturalmente, depois de resolvida a sua situação de devedor ante os seus semelhantes, fazendo-se, então, credor das revelações divinas.

* * *

Sabe-se que as revelações do plano superior se estabelecem, preferencialmente, ‘de lá para cá.’

Como ‘ferramentas’ de tais revelações, mas na maioria das vezes imperfeitas, será imperioso que estejamos promovendo constantemente nossa própria manutenção, através do “vigiai e orai.”

Orar até que não é a parte mais complicada da exigência. Oramos sempre que estamos entregues a um estado contemplativo que nos liga pela forma pensamento a Entidades Superiores das esferas mais sutis. Digamos até que é uma situação bastante cômoda… inercialmente cômoda!

Já vigiar, por entendermos ser a parte mais prática do “vigiai e orai”, exigirá de nós movimento, ações efetivas como, por exemplo, resolvermos [toda a] nossa situação de devedores ante os nossos semelhantes.

Serão estas ações que, promovendo nossa reforma íntima, irão nos contemplar com a linha de crédito que, em nos tornando dignos da atenção de Entidades mais esclarecidas, naturalmente nos proporcionará intermediarmos revelações importantes da Vida Futura Superior.

* * *

Quando preocupações meramente curiosas derem lugar a informações sérias, frutos do crédito superior em nós já depositado, estaremos aptos a colaborar no enriquecimento de nossa própria fé e na dos semelhantes.

“Tudo o que fizerdes a um destes pequeninos, crede-me, a mim o fareis”, diria o Mestre das revelações. Dignos perante nossos semelhantes, dignos perante Jesus; dignos perante Jesus, com créditos junto a Deus. Acreditados perante Ele, herdeiros de suas revelações mais fabulosas e necessárias.

Reforma primeiro; revelações depois!

(Sintonia: questão 357 de O Consolador, ditado por Emmanuel a Chico Xavier, 29ª edição da FEB) – (Primavera de 2015).

Deixe um comentário