Woman shopping at the supermarketOs itens de nossa reforma pessoal não são tais quais os da provisão – rancho – que vamos colocando no carrinho do supermercado; à saída, pagamos e os levamos para casa.

Nenhum desses itens estará à venda no mercado dos homens, mas cada um deles fará parte dos problemas pessoais que teremos de solucionar.

É possível que outras prateleiras que não as de supermercados nos auxiliem a encontrar tais produtos, informando-nos rotas seguras para a nossa qualificação individual: Como as de nossa pequena biblioteca, onde residem obras básicas e complementares.

Felicidade, fé, esperança, fortaleza, graça, conhecimento… não são produtos compráveis; são resultantes de outras ‘mercadorias’ que ‘negociaremos’ diariamente com nossa consciência: A caridade não delegável; a perseverança espartana; o amor prático; a responsabilidade ante compromissos; o devotamento à causa…

Não podemos também emprestar ou tomar esses itens emprestados. Também não poderemos somente desejá-los, mas conquistá-los um pouquinho a cada dia.

Há ainda as parcerias, não mercantilizadas, envolvendo confrades encarnados e desencarnados afins, que nos apoiarão e serão apoiados durante nossos intercursos. Aqui a lealdade, a elegância espiritual, a generosidade, a fraternidade, farão a diferença.

* * *

Para todos que ainda nos movimentamos na sombra, contar com as Luzes Superiores será imperioso. Proporcionar-nos-á enxergarmos a luz no final do túnel; mas não basta que a vislumbremos; precisaremos atingir a saída do túnel!

(Sintonia: Cap. Problemas pessoais, pg. 97, Agenda cristã, André Luiz e Francisco Cândido Xavier, Ed. FEB) – (Outono de 2015).

One comentário para “‘Mercadorias’”

  • Silvia Gomes says:

    Verdade meu amigo! Não basta vermos a Luz no fim do túnel, precisamos lutar e perseverar para atingirmos a saída. E para isso é preciso a humildade de aceitar a ajuda que nos for oferecida pelo caminho.
    Obrigado pela partilha e pelo auxílio que tens nos oferecido.
    Abraço e uma ótima semana, junto dos teus afetos!

Deixe um comentário