generosidade x2

Considerando que nenhum feito, sentimento ou pensamento passam despercebidos neste sistema de humanidade interdependente do qual fazemos parte, o mundo onde moramos depende de nossa colaboração. Todos [nós] temos que contribuir; ninguém está livre do devotamento à família, amigos e desconhecidos.

Foi sempre assim: O Planeta sempre contou e sempre contará com a generosidade de seus filhos, com seus feitos, sentimentos, pensamentos, criatividade, ousadias para uma evolução individual, grupal e planetária. Os devotados de hoje e possuidores de uma maior evolução são os mesmos que, na Idade da Pedra (3.500 a.C.), ainda rudes, mas colaboradores juntavam o ‘combustível’ para aquecer e iluminar suas famílias nas noites frias da Pré-História, lhes proviam segurança e desenvolviam outros atos generosos documentados em imagens e inscrições encontradas por pesquisadores…

* * *

A generosidade é tão inata quanto as demais virtudes com as quais a Divindade brindou seus filhos. Ninguém fica generoso num estalar de dedos, mas é uma nobreza que se cultiva ao longo de vivências e que em algum momento, acompanhando a evolução, ficará madura na forma de devotamento ao semelhante, próximo ou distante. Ela é treinada no lar para se irradiar a pessoas ‘desconhecidas’.

Como, quanto e quando doar até reconheço ser um tanto complicado. Quanto a não se envolver emocionalmente com o beneficiado, variará de indivíduo para indivíduo. Já nem me refiro à frieza desse tipo de contato, pois quem é benevolente dificilmente será frio, mas há indivíduos que sempre se envolverão mais ante as penúrias materiais ou morais alheias.

Embora sabendo que não se deva carregar a cruz pelos outros ou pelo mundo, sempre haverá aqueles fatos que tocarão mais as pessoas que desejarão ser um pouco Simão Cireneu em suas vidas. Até porque, para ser solidário há que se ‘martirizar’ momentos que muitas vezes seriam de total lazer.

Uma coisa é certa: A intensidade de meu envolvimento ou o como, quanto e quando me devotar é infinitamente secundária comparada ao ato em si de generosidade. Generosidade só não poderá ser comparada a todos os seus antônimos, sovinice, indiferença, menosprezo, mesquinhez, avareza, apego… e todo um  séquito maldoso.

Se, num futuro próximo e como já orientado por Hammed nesta ou em outras obras, a religião do futuro será a fraternidade e que amar será tão simples quanto respirar ou beber em fonte translúcida, a generosidade estará no mesmo ‘pacote’, ou as pessoas generosas são criaturas que progrediram, uma vez que (…) já lutaram outrora e triunfaram. (…) Deve-se honrá-las, como velhos guerreiros que conquistaram suas posições. (Questão 894).

* * *

Tal qual uma corrente do bem em círculo vicioso, toda a generosidade fornecida aos planetários influenciará diretamente no Planeta que por sua vez beneficiará os primeiros que a desenvolveram.

Todas as considerações aqui já feitas anteriormente ao ódio e ao amor, também serão válidas para o desdém e a generosidade: Do mais vil ao mais sublime há todo um percurso evolucional.

Tal percurso mostrará desde uma generosidade embrionária e imanente, passando pela rudimentar até chegar quase à sublime ou a generosidade dos grandes missionários.

(Sintonia e expressões em itálico são do cap. Generosidade, pag. 193 de Os prazeres da alma, de Hammed/Francisco do Espírito Santo Neto, Ed. Boa Nova) – (Outono de 2013).

2 Comentários para “Os devotados…”

  • Silvia Gomes says:

    “Como, quanto e quando doar até reconheço ser um tanto complicado. Quanto a não se envolver emocionalmente com o beneficiado, variará de indivíduo para indivíduo. Já nem me refiro à frieza desse tipo de contato, pois quem é benevolente dificilmente será frio, mas há indivíduos que sempre se envolverão mais ante as penúrias materiais ou morais alheias.”
    Verdade amigo! Quem cultiva esta virtude jamais conseguirá exercê-la sem envolvimeto.
    Grata pela partilha!Abraços!

  • fatima says:

    “Quem é benevolente dificilmente será frio!” Quanta verdade!
    Que Jesus, durante nosso percurso evolucional, nos ilumine para que sejamos mais generosos conosco, com nossos irmãos e com o planeta.
    Muito linda “Os devotados”!
    Muito obrigada!

Deixe um comentário