“Ainda que nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova dia a dia.” (Paulo, II Coríntios, 4:16).

* * *

“O corpo se origina do corpo; o Espírito não é proveniente do Espírito, porque este já existia antes do corpo” (ESE, XIV, 8), constitui-se numa das colocações mais sábias da doutrina dos Espíritos.

Perecível, nosso corpo herda dos genitores características físicas, jeitos, trejeitos, cacoetes, tiques…

Imperecível, imortal, o Espírito é herdeiro de si próprio: um acumulado de virtudes ou equívocos.

Ambos são, pois, de procedências diversas e Paulo Apóstolo nos adverte sobre o fato:

De que, embora faleça nosso corpo atual um dia, nosso Espírito, ao qual chama de interior, tem o dever de se carregar de energias salutares dia a dia.

Não seria Sábio, Justo e Bom nosso Pai, se não nos destinasse à perfeição; e renovação é o termo usado por Paulo como pressuposto de encaminhamento à perfeição.

Emmanuel nos lembra que “cada dia tem a lição; cada experiência o valor correspondente; e cada problema determinado objetivo.”

Embora de procedências diversas, corpo e Espírito tornam-se parceiros, pois:

  • A lição é para ambos: ela pode ser salutar ao corpo, também, mas imprescindível à ascensão do Espírito;
  • Significativas mais ao Espírito, as experiências boas ou más estabelecem o aprendizado: é desejável que quanto mais maduro seja o corpo, mais contribua com a parceira alma; e
  • Os problemas, inerentes à categoria Planetária serão o cimento que solidificará tais parceiros.

Encararem lições, experiências, problemas, juntos, sob o comando do Espírito, será tarefa para tal parceria.

* * *

As procedências de corpo e Espírito, (conforme citação supra), são de origens diversas, mas a cada reencarnação nova parceria se estabelece, em corpos alternados, diversificados, anômalos (se necessário), para que o “interior se renove dia a dia,” ano a ano, revivência a revivência.

Pobreza, enfermidades, velhice, são, já, o ocaso, a decadência física; o encerramento de mais um ciclo corporal; mas o início de novo ciclo para o Espírito que já será com novo parceiro.

Parceiros? Parceiros!

(Sintonia: Xavier, Francisco Cândido, Fonte Viva, ditado por Emmanuel, Cap. 141, Renova-te sempre, 1ª edição da FEB) – (Outono de 2018).

Deixe um comentário