mulher-bracos-cruzados-desconfianca-duvida-suspeita-1347984383070_300x420“[O homem] responderá pelo mal que resulte de não haver praticado o bem.” (Q. 642)

* * *

“Sede bons e caridosos; essa a chave do Reino dos Céus…”, nos advertiria São Vicente de Paulo em sua valiosa colaboração à codificação e constante do item 12 do capítulo XIII de O Evangelho segundo o Espiritismo.

Mas, à primeira vista, perguntaríamos ao Iluminado: ‘Bom e caridoso’ não será a mesma coisa? Não estará o Colaborador se redundando?

Primeiro, as citações, tanto de uma obra como da outra não poderiam divergir, mas, e aqui é o caso, vêm se completar. Segundo, poderemos ser simplesmente bons por não fazermos o mal a ninguém, porém não chegamos a ser caridosos porque não efetivamos o nosso bem. Analogamente, é como se disséssemos: ‘Fulano não tem boca para nada!’ ou ‘beltrano não mata uma mosca!’

Explicando: Fulano não tem boca para nada, nem para consolar, nem para aconselhar, nem para defender, nem para intermediar, nem… Beltrano não mata uma mosca, mas também não as espanta, não move um recurso, não se comove, não serve, não…

Os autores do estudo de hoje vêm nos informar que o bem é um exercício e que para treiná-lo precisaremos desinstalar-nos de desculpas as mais esfarrapadas para que não ‘faltemos ao treino’, quais sejam confessarmo-nos incompetentes, alegamos cansaço, afirmarmo-nos sem tempo, declararmo-nos enfermos…

* * *

Na verdade, realizamos inúmeros cálculos para lançar-nos ao bem; para o mal, inimaginamos as conseqüências.

Responderemos, sim, por todo o bem que soubermos e pudermos fazer e não o fizermos sob as mais fúteis desculpas!

(Sintonia: Cap. Exercício do Bem, pg. 108, Livro da esperança, de Emmanuel/Chico, CEC Editora) – (Inverno muito frio de 2014).

3 Comentários para “Responderemos…”

  • Silvia Gomes says:

    “Responderemos, sim, por todo o bem que soubermos e pudermos fazer e não o fizermos sob as mais fúteis desculpas!”

    Grande verdade Claudio!
    As vezes até por acharmos que o outro tem boas condições materiais, lhe negamos o apoio e o consolo nas vicissitudes emocionais… Outras vezes por puro egoísmo somos indiferentes às dores alheias, sejam elas físicas ou morais…dando as mais variadas desculpas. Certamente responderemos por esta omissão.
    Belo artigo! Obrigado pela partilha!Abraços!

  • Amigo Claudio, meu querido Poeta.
    Estou fascinada pelo encanto que é o seu Blog.
    Haja sabedoria para degustar seus raciocinios, que são verdadeiros
    ensinamentos.
    Aqui se encontra um tesouro, no qual sempre irei voltar, pois não
    dá pra ver tudo, de tão grandioso que é.

    Adorei amigo, grande abraço

    Parabéns

Deixe um comentário