Desleixar a oração é tal qual a mulher ou o homem abandonar o asseio próprio. Uma alma em prece assume uma ‘aparência vaidosa’. Doses ‘exatas’ de vaidade são necessárias ao corpo e ao espírito.

Se o homem deixar de raspar ou aparar sua barba, descuidar os cabelos, afeitar o bigode, logo passará um atestado de relaxamento; se descuidar suas roupas, de molambento.

E imaginar uma mulher ‘desarmada’ do batonzinho? E as roupas e sapatos ‘démodé’?

Se os cabelos estiverem com raízes brancas, aí sim, a coisa pega! Diz o ditado popular que mulher não fica velha; fica loira…

Quando todos esses sintomas aparecem na vida de mulheres e homens é porque o desleixo lhes bateu à porta… Sua auto-estima faliu!

A falta da prece é o desleixo espiritual e essa descontinuidade poderá acarretar a doença do espírito em trânsito por este Planeta.

Que tal uma alma bem apresentada, saudável, vigorosa… Sem raízes brancas?

A oração é a tintura de boa qualidade que lhe proporcionará não só a coloração harmoniosa como o tonificante necessário.

Assim como o asseio pessoal requer um conjunto de medidas, o asseio da alma também exige vigilância e oração. Desleixar a prece é “abandonar a si próprio ao vendaval das forças negativas”.

(Sintonia e citação são do cap. Nosso porto seguro, pg. 71 de Recados do meu coração de José Carlos De Lucca/Bezerra de Menezes, Ed. InteLítera) – (Inverno de 2012).

One comentário para “Sem raízes brancas…”

  • Fernanda says:

    Apesar de não ter chegado ainda nem aos 30, já andava eu com algumas raízes brancas meu amigo, mas há pouco tempo dei-me conta de meu desleixo, tenho comparecido ao salão de beleza de nossas reuniões de preces e o efeito tem sido fantástico, escassearam-se os fios brancos que me vinham surgindo na alma, pelo menos eles estão um pouco mais disfarçados e controlados, eu acho…

Deixe um comentário