patch-adams-3De uma forma inusitada iniciamos ontem, 23 de setembro, o roteiro 3, módulo VI do ESDE, obsessão e enfermidades mentais (ou obsessão e loucura): Questionamos o grupo com a pergunta ‘qual é a tua loucura’? Respostas variadas: ‘Sou louco por futebol; sou louco por dança; sou louco pelo meu trabalho; sou louco por minha filha; sou louco por leitura… ’ Integrante, dando, realmente, sinais de demência, disse ‘ser louco pela sogra’. Brincadeira à parte, – até porque o assunto é sério – nossa aula tomou rumo gostoso e esclarecedor…

* * *

Quando nos declaramos loucos por alguma coisa, precisaremos estar atentos a que evolução essa ‘loucura’ nos poderá levar; se ficará em algo prazeroso, como um lazer que evolui para um hobby e que não descambe para uma fascinação, obsessão ou loucura propriamente dita…

Faz parte do roteiro estudado: “Todas as grandes preocupações do espírito podem ocasionar a loucura: as ciências, as artes e até a religião lhe fornecem contingentes. A loucura tem como causa primária uma predisposição orgânica do cérebro, que o torna mais ou menos acessível a certas impressões. Dada a predisposição para a loucura, esta tomará o caráter de preocupação principal, que então se muda em idéia fixa1”; daí a descambar para uma subjugação doentia será um pulinho, visto estarmos oportunizando más influenciações de encarnados e desencarnados equivocados.

Enquanto ‘formos loucos’ simplesmente por um hobby, diversão ou lazer necessários, estaremos raciocinando com sanidade. Mas a partir do momento em que ficarmos obcecados por um lazer que traz em seu bojo irmãozinhos menos esclarecidos e mal intencionados em nos retirar da retidão, essa ‘loucura por tal coisa’ poderá se tornar em algo obscuro.

Ficarmos alienados a um só círculo de amigos, a uma só atividade, a um só tipo de leitura, – e aqui me confesso ‘pecador’ – a um só tipo de lazer, às mesmas páginas de relacionamento… poderá ser o início de uma obsessão que evolua de sua forma simples à subjugação.

* * *

“Ninguém consegue viver inteiramente isolado. Influenciamos aqueles que nos rodeiam e recebemos influências do nosso meio.2

Para que fujamos à loucura, nossas vidas precisarão não ser tão ortodoxas, pois a austeridade aqui será algo inconveniente.  Variemos um pouco, procurando novos gostos.  Ontem no estudo verificamos que o assunto ficou mais agradável, leve, participativo e até chegamos à conclusão que de loucos todos nós temos um pouquinho. Mas que o assunto é sério, é!

(1. O Livro dos Espíritos, introdução, item XV; e 2. Mensagens de esperança e paz, de Waldenir A. Cuin, Cap. 13, Vida comunitária. Imagem: Dr. Hunter Doherty “Patch” Adams) – (Primavera de 2014).

One comentário para ““Sou louco por…!””

  • ROSANA says:

    TEMOS QUE VIGIAR,E SÃO TANTAS, QUE ESSA ME PEGOU DE SURPRESA. À PRINCÍPIO NOS PARECE SIMPLES, MAS É UMA PORTA QUE SE ABRE E MERECE NOSSA ATENÇÃO; “VIGIAI”.

Deixe um comentário