Posts Tagged ‘Bálsamos’

Bálsamo, bálsamo-do-peru, bálsamo-de-tolu ou de gileade, cabriúva1… todos possuem a capacidade de servirem de lenitivo, isto é, suavizar doenças físicas, como se prestarem para a elaboração de aromáticos.

Bálsamo no sentido figurado e abstrato poderá ser um tipo de atenção ou de comportamento que eu, ou alguém tome e sirva de conforto na grande caminhada da evolução que todos, por uma deferência Divina, estão predestinados a percorrer…

* * *

Pequenos atos do dia-a-dia poderão ter a capacidade de balsamizar ou ‘calçar os pés das almas’ tanto nas minhas como nas caminhadas alheias neste compulsório/amoroso trânsito para a perfeição. Dentro da ‘lei de retorno’ ou ‘áurea’, são óleos em forma de perfumados gestos que estarão curando ou amenizando as feridas alheias e as minhas próprias.

O que é trabalhar e servir se não suavizar as feridas comuns? Dentre a coletânea de frases do recém eleito papa Francisco I ele diz que “minha missão é servir”. Entenda-se como trabalho o remunerado, que gera progresso e produz bem estar terreno às famílias. O serviço poderá se referir ao sagrado bálsamo que amortece a caminhada; significará os lenitivos de conforto moral próprio ou a terceiros. Trabalho e serviço dependem, para que produzam os ‘óleos’ dos diversos bálsamos, de importante secretariado que, quando amoroso, realizará alívios e curas:

  • Sem a assistente perseverança, o que seria de meus serviços? Na tenacidade dessa devotada companheira, cumpre-se a máxima evangélica de “botar a mão na charrua e não olhar para trás”. É a perseverança que alerta aos que preparam a terra que, enquanto mantiverem as mãos firmes, serão o bálsamo misericordioso e que a deserção prejudica o exercício do bem;
  • Trabalhar em silêncio, quando a vicissitude de qualquer intensidade me acometer, poderá concorrer para o sucesso da tarefa. Em nada contribuirá, nessa situação, azedumes e zangas. Quantas vezes o próprio ‘massagista’, aquele que me assiste com os seus bálsamos, não estará dilacerado pela dor? Ele esconde os queixumes para que estes não dilapidem a tarefa;
  • O primeiro favorecido pelo ungüento do perdão será aquele que o oferece ou o pediu. Sob os sagrados auspícios do Universo, que sempre acolhe a boa vontade das partes, o perdão é o bálsamo que penetra nas chagas mais profundas, pois a necessidade de oferecer ou pedir perdão revela porções comprometidas que, mascaradas sob o véu do esquecimento, não permitem revelar os que feriram ou os que foram feridos;
  • Em determinadas situações, a palavra é o bálsamo mais indicado. Uma palavra oportuna poderá livrar um organismo de uma infecção generalizada. Foi e continua sendo a palavra apropriada que impediu doentes de se precipitarem em abismos que lhes ‘silenciariam’ o corpo, mas, por outro lado, lhes comprometeriam mais as infecções do Espírito. Que não se iludam, entretanto as pessoas, pois a mesma palavra que balsamiza, infecta;
  • Simpatia e gentileza são duas belas e dedicadas jovens que laboram neste ‘ambulatório caseiro’. Quem possui estas duas secretárias em sua eficiente administração, estará apto a impor as mãos e realizar os prodígios que sua graça lhe permite; e
  • A bondade, a esperança e a paciência, ainda dentro da possibilidade de bons servidores, completam o quadro dos que balsamizam chagas expostas de tantos irmãozinhos do Orbe terrestre. Todas fazem parte dos graciosos veículos do socorro Divino.

* * *

Aquecer as mãos do coração, untá-las com estes e outros sagrados ungüentos que a Onipotente Bondade Divina me põe à disposição para logo em seguida deslizá-las suavemente sobre as partes doloridas do irmão, poderá não ser muito fácil perante a prepotência das asperezas. Mas todos estes santos óleos terão a capacidade de facilitar o deslizamento das mãos no cumprimento da tarefa…

1. Wikipédia. Sintonia: Cap. Lembranças de paz, pg. 53 de Meditações Diárias, de André Luiz/Chico Xavier, editora IDE) – (Inverno de 2013).