Posts Tagged ‘Boas companhias’

Adormecer desta forma… no catre do saber; o melhor leito!

1656202_655985841132826_1805036055_n

A prece é o grande escudo contra assédios. Substituir preocupações desordenadas, infundadas e confusas sobre coisas que nem sei se acontecerão por uma prece consoladora é jogar na lixeira ‘notícias’ malfadadas que estão querendo entrar em minha máquina mental.

Da mesma forma que diariamente me banho, troco de roupa e escovo os dentes três vezes, minha ‘caixa de entrada de mensagens’, coletora de minha alma, precisará estar ‘aliviada’ de pensamentos que me molestem.

‘Documentos’ que revelem revolta, medo, tristeza, incredulidade, deverão ser descartados, abrindo vaga para os da serenidade, alegria confiança e destemores. Quando a minha máquina mental me fizer aquela costumeira pergunta, ‘tem certeza que deseja excluir estes quatro itens’ – supra mencionados -, deverei, sem titubear, clicar na opção ‘sim’.

Esvaziar minha mente de insanidades físicas ou mentais e substituí-las por pequenos atos de amor ao próximo é só uma das maneiras de esvaziar minha caixa de entrada mental. Problemas existem ao meu redor e infinitamente maiores que os meus!

Não devo duvidar que acessos a ‘material’ duvidoso poderão infectar a memória de minha alma; desviar freqüências incorretas e entrar em adequadas é permitir que meu rádio receptor fique livre de chiados inconvenientes e de mensagens inaudíveis.

Se for verdade que, invariavelmente, ajo sob influência de desencarnados, por que não me acercar das boas?…

Elevar a sintonia ou entrar na adequada pressupõe, é claro, também uma faxina e descarte adequados. Dessa forma estarei fortalecendo minha máquina espiritual e conservando-a manutenida.

Manter minha caixa de entrada e a máquina espiritual limpas, evitar ‘certos’ assédios ‘não tão certos’, organizar minhas preces diárias e, principalmente, possuir uma fixação pelo bem, entre outras, são ações que manterão minha lixeira’ vazia.

(Sintonia com capítulos diversos de Recados do meu coração de José Carlos De Lucca/Bezerra de Menezes, Ed. InteLítera) – (Inverno de 2012).