Posts Tagged ‘Jesus como modelo’

Quando criança, quem já não brincou com o eco da própria voz? Ainda hoje, se ‘pintar’ um local adequado, seria capaz de ensaiar um daqueles gostosos gritos!…

Quando guri, qualquer local servia: Uma casa abandonada e vazia, uma canhada – dobras do terreno – mais profunda… Cavernas e cânions já eram mais escassos para o tipo de brincadeira.

As igrejas mais antigas possuem boa acústica; e as possuem porque são de uma época em que não haviam os sofisticados sistemas de som de hoje; os celebrantes faziam se ouvir e entender no ‘gogó’ mesmo, e lógico, com o auxílio da acústica as suas oratórias se propagavam como nas brincadeiras de crianças: ‘Irmãos, mãos, ãos… ’

Mas por que acústica, eco, ouvir, entender?

A consciência é a sala acústica de cada um: Conselhos, sugestões, diretrizes, reprimendas retumbam nessa sala e ela – a consciência – os ficará repetindo e realizando uma verdadeira triagem até que nosso livre-arbítrio os assimile ou o descarte.

Aconselhar-me junto à Vida Maior e a toda a sua Hierarquia do Bem é receber na acústica da consciência todos os ecos dos bons procederes; eles me dirão, por exemplo, que todas as atitudes que forem refletidas do ‘Salvador’ estarão corretas; que todas as minhas – atitudes – que forem consoantes aos procedimentos do Cristo sempre serão de ‘bom retumbo’.

“Aconselhar-me com Jesus”, ‘sentir o que Jesus sentia’, e, principalmente, ‘amar como Jesus amava’, será sempre o melhor ecôo para a minha vida.

A pergunta que ‘fecha todas’, portanto, é: “O que Ele – Jesus – faria, se estivesse em meu lugar?” Seguir o eco de suas recomendações e, sobretudo, de suas atitudes é saber aproveitar bem a “acústica da minha consciência”.

(Expressões em itálico e sintonia são do cap. Aconselhar-se com Jesus, pg. 24 de Recados do meu coração de José Carlos De Lucca/Bezerra de Menezes, Ed. InteLítera) – (Outono muito frio de 2012).