Posts Tagged ‘Orgulho’

Em diversos segmentos da sociedade, mormente nos espíritas, há sérias restrições quanto a elogios, atenções, reverências, agradecimentos… Julga-se que tais manifestações ‘estragam’ pessoas, estimulando-lhes o orgulho e a vaidade.

Em meu entendimento, ‘nem a deus, nem ao diabo’. Neste caso o equilíbrio do fiel da balança é o mais apropriado: Tanto ignorar a criatividade alheia como a adulação servil afastarão o ponteiro do ponto ideal.

Feito isto, passo-lhes considerações que escrevi a respeito do assunto. Se entenderem oportunas… Um bom proveito:

  • Prefiro ver meu companheiro envaidecido por meu elogio do que fracassado e desanimado ante minha insensibilidade;
  • Parabéns e muito obrigado, além de combustível, poderão ser antídoto à insensibilidade que uso como máscara;
  • Às pessoas maduras e responsáveis, o elogio será sempre salutar e a indiferença sempre compreensível…
  • O elogio, o agradecimento, o reconhecimento é obrigação minha… Administrar sua vaidade compete ao outro;
  • Para salvaguardar a fraternidade, louvarei, retribuirei e serei reconhecido, mesmo em detrimento de recomendações, bitolas e regrinhas anti-vaidade;
  • Orgulho e vaidade são naturais fantasmas do mal. Não acredito, porém que elogios e atenções – temperos do bem e da fraternidade – os alimentem!
  • Parabéns, aquela desgastada palavrinha de aniversário, precisa ser reinventada e utilizada mais no dia-a-dia! e
  • E pensar que muitas vezes, o muito obrigado, é sufocado – orgulhosamente! – em gargantas doentias para não estimular o orgulho e a vaidade!

Pois é, meus amigos! Lembram de quando o Divino Mestre curou os dez leprosos? Somente um – o samaritano, persona não grata – veio lhe agradecer… Jesus não desperdiçou a deixa para ensinar princípios de gratidão, reconhecimento, fraternidade…  “Não ficaram curados todos os dez?” – (Lucas, XVII, 17).

(Final do verão de 2011/12, com águas de março maravilhosas!)