Posts Tagged ‘Roupagem física’

chico-xavierNão sou um corpo ocupando um Espírito, mas uma ora alma envergando um temporário e perecível corpo. Meu corpo não deverá ser hostilizado pelos desmandos que a alma lhe impuser, visto ser um mero executor das decisões que a alma tome…

Todos os êxitos ou fracassos exteriorizados por meu corpo são comandados por minha alma. Autores, Orientadores, Mentores Espirituais, muitas vezes e de uma forma até poética irão chamar o corpo de veículo físico, ferramenta, instrumento de trabalho, roupagem física…

Os Orientadores ‘da vez’, Chico e Emmanuel hoje a ele se referirão como refúgio, bastão, vaso, veste, pena, buril, harpa, enxada…

Como a mim também extasiam as flores e cada qual possui encantos e significados1, escolhi discorrer sobre o corpo como sendo o vaso da alma.

O flagelo ao próprio corpo, prática antiga, mas ainda existente em monastérios e clausuras, nada acrescentará a este consorte querido – o corpo – do qual preciso vigoroso para exteriorizar as tarefas que minha alma julgar edificantes… Como depositarei as flores, que minha alma por ventura produza, num vaso judiado, sujo e com má apresentação? Assim sendo o vaso de minha alma, bem apresentado, estará apto ao acolhimento de…

  • … Rosas de todas as nuances, simbolizando virtudes e equívocos exercidos por um Espírito que, na ânsia de amar e evoluir, constituirá um povo “santo e pecador”, mas na luta por uma evolução;
  • Arranjos de azálea, simbolizando a eterna aspiração de minha alma na busca da felicidade e na perseguição da elegância espiritual, que nada mais é do que a busca da angelitude;
  • Begônias, simbolizando a purificação das emoções, as quais concitam minha alma a ser pura como os pequeninos ou se lhes parecer na simplicidade dos sentimentos;
  • Bromélias, significando a amizade eterna e a felicidade plena, convidarão minha alma a uma generosa fidelidade a parcerias fraternas, fator de felicidade e garantia da subsistência dessas afetuosidades tanto no plano físico como no espiritual;
  • Cravos, sinônimos de liberdade, dando-me a entender que sou uma individualidade, que devo me amar e amar aos outros sem aprisioná-los; e que essas individualidades são desparecidas e como tal devem ser tratadas e respeitadas;
  • Orquídeas, representando perfeição e sabedoria; não o acervo que me alienará, bitolará ou humilhará a outrem, mas um repertório que oriente e console;
  • Margaridas, que representarão confiança e criatividade, imprimirão em meu corpo físico a força de um potencial para o desabrochar, para as artes e as descobertas úteis; e
  • Tulipas, significando a beleza, a prosperidade e independência, ditarão a meu corpo que o maior adereço da formosura é a simplicidade e que a progressão do Espírito em muito depende de sua autonomia de ser o melhor que puder no presente momento…

* * *

“… Enfraquecê-lo – o corpo – sem necessidade é um verdadeiro suicídio” (ESE, V, 26). Por que então não aformoseá-lo como a um lindíssimo vaso, qualificando-o a receber estas e todas as belas flores que a alma lhe ditar?!

(1. Giuliana Flores, Conheça o significado das flores. Sintonia: Cap. Perante o corpo, pg. 40, Livro da esperança, de Emmanuel/Chico, CEC Editora) – (Verão de 2014).