Ao esforço a recompensa…

“Pedi e recebereis” (João, 16: 24), não pressupõe facilidades; muito pelo contrário, são dois verbos simples, mas que nas analogias Crísticas presumem o esforço que antecede à recompensa. Da mesma forma que “batei e ser-vos-á aberto” exige-nos o esforço do bater para que algo – a porta, oportunidades, possibilidades, desejos – nos sejam escancarados… * * […]