Dessemelhanças igualitárias

Somos iguais, dentro de nossas diversidades. Somos ‘naturalmente normais’ dentro de nossas livres escolhas. Ao afirmamo-nos naturais, não deveríamos nos intitular normais porque o primeiro pressupõe o segundo. Pouco adiantados, ainda, ou pouco firmes de nossa naturalidade, dizemo-nos ‘normais’… A crítica aceitável sobre diversidade não pode prever preconceito, exige-nos sabedoria. Dessa forma, preconceito é uma […]

“O mundo normal”

Nosso codificador, iluminado pelos Sábios, escreverá em O Livro dos Espíritos: “O mundo espírita é o mundo normal, primitivo, eterno, preexistente e sobrevivente a tudo. O mundo corporal é secundário; poderia deixar de existir, ou não ter jamais existido, sem que por isso se alterasse a essência do mundo espírita.” (Introdução, item VI). * * * Vivemos num […]

A fome, as causas, a comida…

“Há momentos de profunda exaustão em nossas reservas mais íntimas (…). Instala-se a sombra dentro de nós, como se espessa noite nos envolvesse.” (Emmanuel). * * * Reporta-se Emmanuel, aqui, à fome da alma, afirmando-nos que, se necessitamos do pão do corpo, muito mais necessitamos o do Espírito. A fome – A fome é a desesperança. Quando esta se retrai, profunda apatia nos […]

O preço dos resultados

“… Cada meta a que nos propomos tem o preço respectivo.” E “se impostos pesados são exigidos aos que perseguem resultados inferiores, que tributos pagará o espírito que se candidata à glória na vida eterna?” (Emmanuel). * * * Há preço a pagar pelas metas boas ou ruins que desejemos alcançar. Algumas vezes Espíritos abnegados pagam preços altos […]

Fé morta; fé viva…

Hoje Emmanuel nos dirá que “o ideal mais nobre, sem trabalho que o materialize, em benefício de todos, será sempre uma soberba paisagem improdutiva.” E mais adiante: “A crença religiosa é o meio. O apostolado é o fim.” * * * Compreendemos que a fé é uma difícil peregrinação entre a teoria e a prática cristã. Ou nossa fé […]

Os ignorantes e os esclarecidos

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas, 23: 34). * * * A expressão do Mestre, talvez a penúltima que proferiu já sentindo os estertores do aniquilamento físico pela cruz, é, ao mesmo tempo, de nobreza e profundidade abismais: Com tal rogativa ao Pai, convergia-a aos seus carrascos e ao povo ainda ignorante que […]