Crônicas diversas Crônicas doutrinárias

Regente de minha felicidade

Minha felicidade, a que eu consigo enxergar ainda neste Planeta, sempre será proporcional à quantidade de felicidade que eu semear, adubar e ver germinar…

Se, dando rédeas ao meu egoísmo, viver tecnicamente e estritamente dentro de minha estreita razão, além de não produzir bem estar àqueles pelos quais sou co-responsável, dificilmente produzirei dentro de mim esta ambicionada virtude.

Felicidade produzida pelo doar-se é a antevisão de mundos hierarquicamente mais avançados e felizes que a Terra. Ou seja, como todo o livro tem um prefácio, a felicidade que tento construir por aqui também poderá ser só o prefácio da existente nas “muitas moradas de meu Pai.”

Felicidade é uma questão muito relativa, ou problema de degrau, pois…

…Fulano poderá entender que a sua será maior se mais ele ‘amontoar’, se mais ele receber, se mais ele tiver.

Mas beltrano poderá entender que tudo o que ele possuirá, será o que ele doar, repartir, facilitar; fique entendido que facilitar, aqui, significa vender a um preço de justo a simbólico. Beltrano aqui, não estaria se importando em ter, mas em ser misericordioso, justo, saber compartilhar, ser… Feliz!

Mas quem me fará feliz? Eu mesmo! Inegavelmente, isso passará muito mais pelo meu coração do que pela estreita razão à qual me referia.

Hammed me diria que “ninguém pode nos fazer felizes ou infelizes [e que] sucessos e fracassos são subprodutos de nossas atitudes construtivas ou destrutivas.”

Construindo, torno-me o regente de meu destino e da minha felicidade junto!

Felicidade é um círculo vicioso ou corrente do bem, ação e reação: Se a produzir para alguém esse também poderá a produzir a um terceiro e o terceiro a devolver para mim.

O consumismo me dá, entretanto, idéias equivocadas de felicidade: Desejará querer me convencer que a felicidade será a tintura nova para o cabelo, ou medidas adequadas para o corpo, ou o scarpin atualizado, a bebida ‘x’, o carro novo ou a conta no banco tal…

No ‘pacote genético’ herdado de meu Pai, a felicidade não só é possível, como está incluída!

(Sintonia e expressões em itálico são do cap. Ser feliz, pag. 23 de Renovando atitudes, de Hammed/Francisco do Espírito Santo Neto, Ed. Nova Era) – (Primavera de 2012). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.