Qual comida?

“Dai-lhes vós de comer…” (Jesus, em Mateus 6:37). “No ensinamento inesquecível, a fome era do corpo, mas, ainda e sempre, vemos a multidão carente de amparo, da luz, da harmonia, vergastada pela discórdia e incompreensão.” (Emmanuel). * * * Matriculados na Escola Cristã, deparamo-nos, comumente, com famintos de toda ordem: Como estamos em período literalmente escolar, com os […]

Candeias ou faróis?

“‘Sois a luz do mundo’, exorta-nos o Mestre e a luz não argumenta, mas sim esclarece e socorre, ajuda e ilumina.” (Emmanuel). “Busquemos o Senhor, oferecendo aos outros o melhor de nós mesmos.” (Emmanuel). * * * Quando o Mestre pediu aos seus que fossem “Luz do Mundo”, sabia da capacidade de cada um: Homens toscos, heterogêneos; também suas luzes assim […]

Misericordiosamente…

“Se já guardamos a bênção do Mestre, cabe-nos restaurar o equilíbrio (…) ajudando aos que se desajudam, enxergando algo para os que jazem cegos e ouvindo alguma coisa em proveito dos que permanecem surdos…” (Emmanuel). * * * A Terra ainda é território desequilibrado. Dessa forma, o Benfeitor Emmanuel irá dividi-la entre os que conhecem e os […]

Os ignorantes e os esclarecidos

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas, 23: 34). * * * A expressão do Mestre, talvez a penúltima que proferiu já sentindo os estertores do aniquilamento físico pela cruz, é, ao mesmo tempo, de nobreza e profundidade abismais: Com tal rogativa ao Pai, convergia-a aos seus carrascos e ao povo ainda ignorante que […]

Sentimento e raciocínio

De 1854, quando, pela primeira vez o professor Rivail ouviu falar em mesas girantes, passando por 1855 quando resolveu freqüentar reuniões com fenômenos espíritas a 1857 quando lançou a primeira versão de O Livro dos Espíritos, o tempo passou muito rápido para Allan Kardec – pseudônimo então adotado. Descrente a princípio, Kardec trazia da escola Pestalozzi o raciocínio. Aquele […]

Fraternidade, esclarecimento e energia: uma bela tríade

Afirmamos já amarmos o próximo. Mas quando um desses ‘nosso próximo’, ainda menos educado na lição evangélica não nos poupar brutalidades, deveremos nos comportar de maneira passiva? Em tal situação a fraternidade tem prioridade? Ou deverá haver esclarecimento com energia? * * * Neste caso, Emmanuel nos recomenda que as três opções sejam válidas: Ou a fraternidade como prioridade e com o concurso […]